Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
30 mil peregrinos a pé a caminho de Fátima
12.05.2016
À medida que se aproxima a hora da tão desejada Procissão das Velas, são milhares os peregrinos que estão a chegar ao Santuário de Fátima. Nesta tarde de quinta-feira havia cerca de 8000 peregrinos, vindos de 164 grupos organizados de Portugal e de mais 30 outros países de todos os continentes do mundo, inscritos no Santuário, mas o Movimento da Mensagem de Fátima, que presta apoio aos peregrinos que chegam a pé, estima que cerca de 30 mil pessoas já tenham chegado ou estejam a chegar ao Santuário. Um número ao qual se irão juntar centenas de milhares vindos de carro ou outros transportes, já que a CP anunciou também um reforço dos comboios nestes dias.

São 30 mil os peregrinos que caminham até Fátima
Na cara dos peregrinos que chegam ao recinto do Santuário vêem-se muitas lágrimas. Caem as mochilas ao chão, e os abraços sucedem-se, acompanhados de lágrimas sinceras, que misturam a alegria da chegada com a dureza do caminho, este ano mais prejudicado pela chuva que acompanhou todos estes peregrinos, e que hoje lhes deu algumas tréguas, mesmo a tempo de poderem rezar e agradecer a Maria o caminho percorrido.

De noite, a Procissão das Velas concentrará todas as atenções, mesmo que depois disso ainda se celebre eucaristia, presidida pelo Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente. Seguem-se vigílias toda a noite até ao dia seguinte, em que se celebrará o dia da memória litúrgica da Virgem de Fátima, que, 99 anos antes, apareceu aos três pastorinhos.
 
Escuteiros no apoio aos peregrinos
Os escuteiros do CNE, assim como outras organizações, estão mais uma vez na estrada no apoio aos peregrinos que se deslocam a pé para Fátima. Ao longo do caminho, são vários os agrupamentos que montaram pontos de apoio que servem café e chá, pequenos lanches, mas também fazem massagens, lavagem de pés e tratamento de entorses, distensões, entre outras maleitas. É sempre com um sorriso nos lábios que os escuteiros abrem as portas dos espaços aos peregrinos. Uns visivelmente abatidos, outros mais descansados, mas todos com uma simpatia sem par. O objetivo é o mesmo, e a possibilidade de descanso abre-lhes sempre o sorriso.

A Família Cristã esteve no posto de socorro que o agrupamento 65, de Torres Novas, montou na aldeia da Chancelaria, e pudemos testemunhar o alívio que surge quando as mãos dos voluntários tocam nos pés doridos. «Uma das senhoras que passou disse que me queria cortar as mãos para as levar com ela», graceja Maria Inês, uma pioneira (escuteiros dos 14 aos 17 anos) que estava esta manhã ao serviço.

As mãos da Maria Inês fazem milagres nos pés doridos dos peregrinos
Mesmo sem as mãos da Maria, os peregrinos saem com força redobrada, fruto do serviço que lhes é prestado pelos escuteiros que encontram pelo caminho. E isso é meio caminho andado para o sucesso da sua caminhada.

Para além deste apoio no caminho, o CNE tem também uma equipa de 30 voluntários, vindos de 13 agrupamentos diferentes de seis regiões do país, que apoia dentro do Santuário as ações dos Servitas. Desde trabalho no posto de socorros do santuário, até prestar informações aos peregrinos mais perdidos, passando por controlo de multidão e primeiros-socorros durante as cerimónias oficiais, estes escuteiros estão disponíveis para todo o tipo de ações.

Texto e fotos: Ricardo Perna
Continuar a ler