Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Papa vai «concentrar-se na celebração do centenário de Fátima»
12.10.2016
O Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, não avança com o programa oficial da visita do Santo Padre a Portugal no próximo ano, mas indica que este deve ser anunciado «em breve».


«Não é possível saber quando teremos os pormenores, mas deve ser em breve, porque uma visita destas requer uma preparação adequada, apesar de Fátima estar habituada a receber Papas. Não deve tardar muito», indicou o Cardeal Parolin, que não adianta mais pormenores. «Não sou profeta, e isso impede-me de responder à sua pergunta, que já muitos me fizeram em todos os encontros que tive até aqui. Vejo que há um grande desejo que o Papa venha», afirmou aos jornalistas.
 
A razão pela qual o Papa vem a Portugal, segundo o secretário de Estado do Vaticano, é «o centenário das aparições». «O Papa quer concentrar-se nesta celebração, nos peregrinos que vêm e na mensagem de Fátima, que está muito presente no seu ministério», revela, no que poderá ser um indicador de que a visita se poderá cingir ao santuário de Fátima.
 
O prelado está em Portugal para presidir à peregrinação aniversária de outubro, a última antes da celebração do centenário das aparições, marcada para o próximo dia 13 de maio, que será, ao que tudo indica, presidida pelo Papa Francisco. É a primeira vez que o prelado está em Portugal, mas nem por isso desconhece Fátima. «Queria expressar a minha alegria por estar em Fátima pela primeira vez, num santuário que sempre me foi muito querido e é um ponto de referência na minha espiritualidade mariana», disse aos jornalistas em conferência de imprensa.
 
Questionado sobre se o Papa tem alguma preocupação particular com Portugal ou a igreja portuguesa, o Cardeal Parolin refere que não há preocupações particulares. «Direi que o Papa se preocupa com Portugal o mesmo que com toda a Igreja: que seja uma Igreja em saída, que evangeliza, que sabe anunciar o Evangelho e a certeza do Evangelho, com gestos, porque os gestos impressionam as pessoas», referiu.



A «gratidão» dos peregrinos a Maria
Depois da conferência de imprensa, o Cardeal Parolin dirigiu-se à Capelinha das Aparições para a tradicional saudação aos peregrinos, que marca o início da peregrinação aniversária. O prelado disse que todos os peregrinos devem entrar no «santuário do coração» com uma palavra, «gratidão». «Quem entra cheio de gratidão nos corações da Mãe, da Igreja, de Cristo, não pode deixar de ficar maravilhado, vendo neles um modo de viver diverso daquele do mundo», disse.


O secretário de Estado do Vaticano afirmou que o mundo dos que descobrem a «Mãe» é contrário ao mundo de hoje. «Enquanto o mundo vive seguindo a lei do mais forte e se deixa tragicamente encantar pela mentira, aqueles corações vivem a lei da mansidão e da reconciliação, transbordantes de beleza, verdade e paz. O mundo faz da corrupção o segredo duma vida bem-sucedida, ao passo que aqueles corações refulgem com a justiça e a fraternidade que jorram do coração da Santíssima Trindade», afirmou aos peregrinos que encheram a Capelinha das Aparições.
 
A noite ficará marcada pela Procissão das Velas e pela celebração da missa, que será presidida pelo Cardeal Parolin.

 
Texto e fotos: Ricardo Perna
Continuar a ler