Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Pastorinhos serão «os mais jovens santos da história da Igreja»
23.03.2017
O bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, declarou hoje «a enorme satisfação» pela notícia de canonização dos pastorinhos que o Vaticano hoje anunciou. «Não foi surpresa, pois tinha esperança de que durante o ano de centenário tivéssemos a canonização dos pastorinhos. Mas fui apanhado de surpresa pois não esperava que fosse tão rápida», disse o bispo de Leiria-Fátima, em declarações aos jornalistas hoje na Casa Episcopal, em Leiria.

 
Afirmando que «Fátima é universal, mas os pastorinhos são de cá, pelo que é alegria da diocese», o prelado confirmou que a data da canonização depende apenas do Papa. «Falta a etapa decisiva, que compete ao Papa, que é escolher a data e o local da canonização. Aguardamos o consistório em que o Papa comunica isso aos cardeais», que está marcado para dia 20 de abril.
 
O bispo de Leiria-Fátima afirmou que este é um «momento de alegria para todo o povo católico de Portugal com a notícia de uma canonização de duas crianças que já são consideradas santas universalmente». «Por trás de tudo está uma mão providencial, pois o centenário não estaria completo sem a canonização», disse.
 
Muito contente está também a postuladora da causa da canonização dos pastorinhos, a Ir. Ângela Coelho. «Partilho da alegria da Igreja em Portugal e de toda a Igreja espalhada pelo mundo, ao saber da aprovação do decreto pelo Papa Francisco, e sublinho que são os mais jovens santos na história da Igreja que não são mártires», sublinhou a religiosa portuguesa.
 
Sobre a cura, pouco se sabe e pouco disseram, por impedimento oficial. «Não podemos dizer muita coisa sobre o assunto, mas sabemos do Brasil e é uma criança, mas não podemos dizer mais nada, porque os regulamentos do Vaticano não permitem. Foi a cura de uma doença que teve lugar em 2013, e o processo teve de esperar para garantir que a cura era real», disse a Ir. Ângela.
 
Santuário de Fátima «preparado para todas as eventualidades»
O reitor do Santuário de Fátima, Pe. Carlos Cabecinhas, está também muito satisfeito. «Esta não é apenas uma boa notícia, é uma das mais aguardadas notícias na celebração do centenário das aparições», disse, acrescentando que «é particularmente relevante porque vem sublinhar uma mensagem que mantém toda a atualidade pela via da canonização».
 
Questionado sobre se serão precisas outras medidas na preparação para o 12 e 13 de maio, o Pe. Carlos Cabecinhas afirmou que «o Santuário está preparado para todas as eventualidades, e conseguirá responder a tudo o que vier». «No caso de a canonização ser a 13 de maio, estaremos preparados, e mesmo que não seja, não iremos deixar de celebrar esse facto», disse aos jornalistas.

 
D. António Marto não quis anunciar nenhuma preferência quanto à data ou local da canonização. «Não posso dizer a minha preferência, ou isso pode ser tomado como uma declaração. De qualquer das formas, Fátima e Roma são duas capitais espirituais universais, por conseguinte se for Fátima muito bem, se for Roma muito bem», disse.
 
Em fevereiro, foi concluída a fase científica do milagre, conforme tinha sido noticiado na altura, e a parte teológica foi muito rápida. «Nós já tínhamos a documentação preparada para todas as etapas, e assim que soubemos da conclusão dessa etapa, introduzi toda a documentação necessária. E digo-vos que na Congregação para a Causa dos Santos trabalha-se muito», assegurou a Ir. Ângela.
 
Texto e fotos: Ricardo Perna
Continuar a ler