Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Sair, Ver e Chamar: como o Papa quer chegar aos jovens
13.01.2017
O Papa Francisco escreveu aos jovens de todo o mundo, apresentando o Sínodo de 2018, para pedir-lhes que construam uma «nova terra», rejeitando a «cultura do descartável» e a «globalização da indiferença». «Qual é para nós hoje esta nova terra, a não ser uma sociedade mais justa e fraterna, à qual vós aspirais profundamente e que desejais construir até às periferias do mundo?», refere o documento, divulgado hoje pela sala de imprensa da Santa Sé.

 
Francisco recorda que em outubro de 2018 se vai celebrar o Sínodo dos Bispos sobre o tema ‘Os jovens, a fé e o discernimento vocacional’. «Eu quis que vós estivésseis no centro da atenção, porque vos trago no coração», explica.
 
O Papa desafia os mais novos a «sair» em direção ao futuro e a «ouvir a voz de Deus», sublinhando que, para muitos, a saída implica também a fuga da «injustiça e da guerra». «Muitos estão submetidos à chantagem da violência e são forçados a fugir da sua terra natal», lamenta.
 
Também hoje ficou a ser conhecido o documento preparatório enviado a todas as conferências episcopais e movimentos sobre o próximo sínodo de 2018, com o anúncio da realização de um inquérito online dirigido às novas gerações. À semelhança do sínodo sobre a família, o Papa vai querer ouvir todos os interessados, neste caso os jovens, para além das estruturas da Igreja, que receberam já hoje a sua base de reflexão. «Está prevista uma consulta a todos os jovens, através da internet, com um questionário sobre as suas expectativas e a sua vida», adianta o documento, disponibilizado pela sala de imprensa da Santa Sé.

A publicação deste texto dá início a um processo de consulta que levará à redação do instrumento de trabalho para a assembleia sinodal. O texto publicado hoje, chamado ‘lineamenta’, inclui já um questionário próprio, com 30 perguntas sobre a relação entre jovens, Igreja e sociedade; o acompanhamento espiritual e vocacional dos mais novos, por parte dos responsáveis católicos; a pastoral juvenil vocacional; e um conjunto de questões específicas para os vários continentes.
 
O documento preparatório propõe uma reflexão em três partes, começando pelas dinâmicas sociais e culturais antes de passar à abordagem do “discernimento”, como instrumento que a Igreja oferece aos mais novos para a descoberta da sua vocação. Em terceiro lugar, são colocados em relevo os elementos fundamentais da pastoral juvenil vocacional.
 
Neste documento, dirigido às estruturas da Igreja, o Papa estabelece três prioridades para quem lida com jovens no contexto eclesial. «Sair», «Ver» e «Chamar». «Sair, abandonando as atitudes rígidas que tornam menos credível a proclamação da alegria do Evangelho», ver, com um «verdadeiro olhar de discernimento, que não quer tomar posse da consciência de outrem nem predeterminar o caminho da graça de Deus», e que começa «por deixar de lado as suas próprias conceções mentais», e «chamar», «fazer perguntas que não têm respostas prontas. Deste modo, e não nos limitando a respeitar passivamente as normas, as pessoas são impelidas a embarcar numa viagem e a encontrar a alegria do Evangelho», afirma o documento.

 
Texto: Ricardo Perna (com Agência Ecclesia)
Foto: Conferência Episcopal da Polónia

 
Continuar a ler