Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Todas as religiões têm espaço no Rio
11.08.2016
Mais de 10 mil atletas vivem por estes dias na Vila Olímpica. À sua disposição têm um Centro Interreligioso. A organização do centro ficou a cargo do Arcebispado do Rio de Janeiro. O cardeal D. Orani Tempesta disse que «é muito bom ver o Rio de Janeiro como um povo acolhedor, onde as religiões se entendem».


Neste espaço, há uma sala para cada religião: cristianismo, judaísmo, budismo, hinduísmo e islamismo (com uma sala só para mulheres). Além disso, um espaço misto acolhe o serviço de aconselhamento e há um espaço para convivência.

O Pe. Leandro Lenin, responsável pelo centro, sublinha que «o atleta precisa ter com quem se alegrar na hora da vitória, mas também precisa do ombro amigo na hora que perceber que alguma coisa não foi bem. E igualmente precisam de um espaço para a prática de sua fé». O sacerdote quer que o espaço não seja «apenas um ponto de apoio. É também um ponto de encontro, de assistência e auxílio».
 
Outro aspeto interessante de diálogo interreligioso nestes Jogos Olímpicos do Rio tem que ver com o acolhomento dos voluntários. A Arquidiocese do Rio de Janeiro convidou outras religiões a apoiar o projeto «Meu Lugar no Rio» - plataforma que permite que moradores recebam voluntários em  casa. «Como os Jogos Olímpicos são um evento laico e desportivo, é interessante que diversas religiões abram as portas de suas casas também para os voluntários», disse D. Orani.

O centro interreligioso funciona desde 24 de julho até 21 de Setembro, das 7h às 22h.
 
Texto: Cláudia Sebastião
Fotos: Daniel Ramalho/Rio 2016
 

 
Continuar a ler