Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Ano Amoris Laetitia foi fantástica oportunidade
29.07.2022
Na conclusão do Ano Família Amoris Laetitia, com a realização do X Encontro Mundial das Famílias que decorreu de 22 a 26 de junho, justifica-se fazer um comentário, em jeito de balanço, sobre o que significou esta fantástica oportunidade para a Pastoral Familiar de Portugal e do Mundo.

Quando em finais de 2020 o Papa Francisco anunciou ao mundo a celebração de um ano dedicado à família, surpreendeu-nos a todos, não apenas por estarmos em pleno Ano de São José, mas também por designar esta iniciativa como Ano Amoris Laetitia. Percebemos mais tarde que um dos cinco grandes objetivos desta iniciativa era revisitar a exortação apostólica que tinha sido publicada cinco anos antes. No momento do seu lançamento, o documento foi alvo de grande discussão e de uma análise essencialmente focada no discernimento das situações chamadas «irregulares», tendo-se perdido a riqueza do documento como um todo. No final destes últimos 15 meses, de 19 de março de 2021 a 26 de julho de 2022, julgamos que o primeiro objetivo – difundir os conteúdos Exortação Apostólica Amoris Laetitia – foi amplamente atingido. Famílias, estruturas pastorais e movimentos eclesiais voltaram a debruçar-se sobre este documento e, desta vez, dando maior atenção aos seus capítulos centrais – «O Amor no Matrimónio» (cap. IV) e «O Amor que se Torna Fecundo» (cap. V), verdadeiros guiões para os casais.
Para tal, muito contribuíram os inúmeros recursos disponibilizados pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida. Entre eles destacamos os dez vídeos Amoris Laetitia do Papa Francisco, as catequeses preparatórias do X Encontro Mundial das Famílias, e os Rosários para os Namorados e para as Famílias. Todos estes recursos continuam disponíveis em http://www.laityfamilylife.va/content/laityfamilylife/pt/amoris-laetitia.html.

Também o capítulo VI da exortação, «Algumas Perspetivas Pastorais», foi alvo de inúmeras análises alinhadas com um segundo grande objetivo do Papa Francisco para este ano – tornar as famílias sujeitos principais da pastoral familiar (cf. AL 200). Como referiu o cardeal Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, no Fórum das Famílias, em junho de 2021, com o tema «Em que ponto estamos com a Amoris Laetitia? Estratégias para a aplicação pastoral da exortação do Papa Francisco», «cinco anos após a sua publicação, encontramo-nos agora na fase em que, segundo as indicações do Papa Francisco, podemos e devemos reler o documento na sua totalidade e, valorizando todo o seu precioso conteúdo, procurar traduzi-lo em práticas pastorais concretas». Ou seja, chegou o momento de agir e de implementar no terreno as linhas programáticas da pastoral familiar que decorrem da Amoris Laetitia. Embora ainda muito falte fazer, julgamos que se deram nestes 15 meses passos concretos nessa direção.

O último grande objetivo que gostaríamos de analisar neste comentário prende-se com alargar o olhar e a ação da pastoral familiar para que se torne transversal, envolvendo os casais, os filhos, os jovens, os idosos e as situações de fragilidade familiar. A instituição, no decorrer do Ano Família Amoris Laetitia, do primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, celebrado no dia 25 de julho de 2021, e que se repetirá anualmente, veio concretizar este desígnio de construirmos uma pastoral intergeracional. Por todo o mundo, neste dia, multiplicaram-se as iniciativas envolvendo avós e netos, jovens e idosos.

Por fim, destacamos a dinâmica criada em Portugal por ocasião do X Encontro Mundial das Famílias, que este ano teve um formato distinto do habitual, com o Festival das Famílias e o Congresso Teológico-Pastoral a acontecer em Roma e com a realização de inúmeras iniciativas pastorais, alinhadas com esse encontro, em muitas das dioceses portuguesas, criando assim um evento multicêntrico de grande divulgação como nunca se tinha verificado nos anteriores encontros mundiais das famílias.