Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Bispo de Santarém fala de um mês de maio a «viver com limitações»
07.08.2020
O bispo de Santarém, D. José Traquina, enviou uma mensagem vídeo dirigida aos fiéis e aos sacerdotes da sua diocese onde pede aos seus diocesanos que estejam «atentos às indicações dos padres», quanto aos horários e «ao que é possível de apoio espiritual neste tempo ainda de limitações», até serem permitidas as celebrações comunitárias da fé.

Foto de Arquivo
D. José Traquina reconhece a «dificuldade» de viver sem missa, e a expetativa de alguns grupos de fiéis que esperavam retomar já as celebrações comunitárias, e anuncia a abertura das igrejas na sua diocese. «Temos um mês de maio para viver com limitações. Apesar desta dificuldade, de alguns esperarem mais liberdade para a celebração da fé, quero salientar que as igrejas estarão abertas e que é possível a celebração da confissão, e, portanto, alguns momentos de oração individual dentro das igrejas», disse D. José Traquina.

Numa mensagem à Diocese de Santarém, o seu bispo lembra que «as celebrações comunitárias da fé só serão permitidas a partir do dia 30 de maio», segundo indicações «dadas primeiro pelo Governo» e também em comunicado da Conferência Episcopal Portuguesa. «Peço que estejam atentos e aproveitemos o que é possível. Que estejais atentos às indicações dos vossos padres, os vossos priores, quanto aos horários e quanto ao que é possível de apoio espiritual neste tempo ainda de limitações», desenvolveu.

Aos sacerdotes, o bispo de Santarém, «depois de uma experiência de mais de um mês e meio de confinação com limitações de vida e também de expressão de fé», por causa da pandemia de Covid-19, agradeceu o «testemunho dos padres, pelos sinais que inventaram, que criaram para dar sinais de bênção às pessoas». Agradeceu ainda o testemunho dos cristãos que em casa «promoveram catequeses, a oração, a escuta da Palavra, o acompanhamento da liturgia da Igreja, especialmente aos domingos».

Na sua mensagem, o bispo de Santarém destaca também as pessoas que «trabalharam e trabalham» nos hospitais, nos serviços de saúde, nos lares de idosos, e «de forma empenhada enfrentam o medo» e os grupos da Cáritas Paroquial e sociocaritativos que «prestam e prestaram um serviço de atendimento a pessoas que apareceram com necessidade». «Nestas quatro semanas do mês de abril foram mais de 100 famílias, além daquelas que [já] eram ajudadas pelas Cáritas, que corresponde a várias centenas de pessoas, a pedir apoio e a todas foi dada uma ajuda», assinalou.

No vídeo divulgado este domingo, D. José Traquina lembrou o Dia Mundial de Oração pelas Vocações 2020 e o Dia da Mãe, destacando que «as mães e suas famílias são um bem enorme para edificação da sociedade».

Neste contexto, o bispo de Santarém explicou que este é também o Mês de Maria e «une mais oração através de Nossa Senhora» pedindo aos diocesanos que rezem «pelo mundo», uns com os outros e «uns pelos outros» contando com «convicção de fé que Nossa Senhora acompanha nestes momentos de dificuldade».
 
Texto: Ricardo Perna (com Agência Ecclesia)
Foto: Ricardo Perna
Continuar a ler