Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Bispos portugueses estarão na Consagração da Rússia e Ucrânia
18.03.2022
A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou hoje que se vai associar à consagração da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria, numa cerimónia marcada para 25 de março, no Vaticano e em Fátima, por decisão do Papa. «Em profunda comunhão com o Santo Padre, os Bispos portugueses procurarão estar presentes nesta celebração em Fátima», refere uma nota enviada às redações.


A CEP manifesta «plena sintonia» com o Papa, que vai presidir à celebração pelas 17h00 de Roma (menos uma em Lisboa), na Basílica de São Pedro. Ambas as celebrações coincidirão na hora, sendo celebradas em uníssono, entre o Vaticano e Fátima. PAra isso, Francisco decidiu enviar a Fátima, como legado pontifício, o cardeal Konrad Krajewski, Esmoler apostólico, «o qual fará o ato de consagração na Capelinha das Aparições, também às 16h00, durante a oração do Rosário», precisa a CEP. O cardeal acabou de regressar de uma missão na Ucrânia, junto dos refugiados, enviado pelo Papa Francisco.

Os bispos católicos pedem ainda que «todas as paróquias, comunidades, institutos de vida consagrada e outras instituições eclesiais assumam esta intenção de consagração nas celebrações desse dia», nomeadamente nas Vias-Sacras, nas Eucaristias, na Oração do Rosário e no itinerário ‘24 horas para o Senhor’ que se inicia na tarde de 25 de março.

O Vaticano informou esta tarde que o Papa Francisco «convidou os bispos de todo o mundo e seus sacerdotes a unirem-se a ele na oração pela paz e na consagração e entrega da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria».

Esta quinta-feira, em conferência de imprensa, D. José Ornelas, presidente da CEP, destacou a decisão de Francisco, ao unir a Rússia e a Ucrânia nesta consagração, convidando a ver na celebração um apelo a «encontrar caminhos de reconciliação, de convivência e de dignidade para todos». «Não é um gesto contra ninguém, os povos são muito mais dos que os seus governantes», precisou o bispo de Leiria-Fátima.

Aos jornalistas, o responsável destacou ainda a passagem da Imagem Peregrina de Fátima pela cidade ucraniana de Lviv, com um significado simbólico «muito importante», desejando que sirva de «consolação e sinal de esperança para as pessoas que sofrem, que são as principais vítimas destes conflitos». «É um sinal muito bonito de Fátima», acrescentou.

 
Texto: Ricardo Perna (com Agência Ecclesia)
Foto: Ricardo Perna
Continuar a ler