Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Celebrar a casa dos Avós
23.07.2018
Tenho uma proposta para o Dia dos Avós de 2018, aliás, pode ser para qualquer dia, em qualquer ano: celebre a casa com os seus netos. Isso mesmo, a casa onde eles passam tanto tempo, onde cresceram e aprenderam, em que os vossos filhos se tornaram pais, e vocês se fizeram avós. A casa a que conhecem todos os cantos e que já tem, por esta altura, personalidade própria, uma força só dela, um lugar de cheiros e sabores, palco de tantos acontecimentos bons, mas também de discussões e conflitos, de perdas e lutos que nos marcaram. Mas não nos separaram.

Nós celebrámos este ano a maioridade da nossa! Há 18 anos que vivemos nela, os nossos filhos vieram para cá solteiros, alguns ainda crianças pequenas, daqui saíram para o altar, casaram e tiveram filhos, que por sua vez voltaram para cá diretamente da maternidade. Foi nesta casa que tomaram o primeiro banho, que nos fizeram recordar as canções de embalar, e os truques para adormecer bebés inquietos, levando-nos a revisitar os caixotes onde tínhamos fechado os brinquedos mais importantes dos seus pais, que ganhavam agora uma nova razão de ser. Foi nesta casa que lhes lemos os nossos livros favoritos, bem aconchegados ao nosso colo, e na cozinha, sentados no chão, ajudaram o avô a fazer marmelada ou bolos. Temos memórias de festas de aniversários, de noites de Natal, de amigos que se tornam também nossos, e de acampamentos no jardim. Os nossos netos, viram-nos também tristes, com a morte dos nossos pais e de alguns amigos muito próximos, mas perceberam que a força da vida ganha sempre, e que não há culpa em voltar a ser feliz, mesmo sabendo que o vazio dos que partiram nunca será preenchido.

Nesta casa, acredito, vão percebendo que as casas não são para estar vazias, mas para as habitarmos juntos, que as portas servem para se abrirem, acolhendo quem tem vontade da nossa companhia, para que cada um nos procure quando têm vontade disso, porque à mesa há sempre lugar para mais um.

Nas casas dos avós, com a sabedoria que os avós vão conquistando, podem entender que mais importante do que os móveis passarem no teste do algodão, e estar tudo sempre muito arrumadinho no sítio, é sentirmo-nos bem e acolhidos. E vão interiorizar, também, que as regras podem mudar de um lugar para o outro sem que a Terra salte dos eixos, porque o importante é que se pautem pelos mesmos valores essenciais.

Por isso sim não adie nem mais um minuto a decisão, e marque já na agenda de toda a família e amigos mais próximos a celebração. Não sirva a festa já feita, como tantas vezes temos a tentação de fazer! Prepare-a com eles, envolvendo-os em todos os detalhes. Reúnam-se de antemão, façam planos, discutam quem vão convidar, o que vão comer, quem faz o quê, e é claro inventem uma decoração única — e não se esqueçam de encher as paredes com fotografias de tudo o que viveram juntos desde que eles nasceram. No dia da festa deem graças por se terem uns aos outros, e uma casa! Bom Dia dos Avós.