Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Coronavírus: Patriarcado de Lisboa não permite absolvições em grupo
11.03.2020
O Patriarcado de Lisboa emitiu hoje uma «nota aos diocesanos de Lisboa sobre a atual situação sanitária», na qual manifesta preocupação com a situação, mas, «como crentes, não deixaremos de viver o atual momento com fé no Deus da vida, que nunca abandona ninguém, sobretudo nas ocasiões mais difíceis». «Mantemo-nos em oração por todos, em especial pelos profissionais de saúde e pelos doentes e suas famílias, certos de que assim se alarga a esperança e reforça o ânimo», pode ler.se na nota publicada no site do Patriarcado de Lisboa.


Neste âmbito, D. Manuel Clemente, Cardeal-Patriarca de Lisboa, indica que «são de adiar as celebrações penitenciais com confissões e não se deve recorrer à absolvição geral», ao contrário do que vimos acontecer nas dioceses de Aveiro e Guarda, onde os bispos diocesanos possibilitaram esse tipo de absolvição.

De resto, mantém-se tudo como normal, com especial atenção às indicações das autoridades de saúde. «Onde se encerrarem escolas, devem suspender-se as catequeses e outras ações pastorais que envolvam grupos mais numerosos. Cumpram-se as indicações quanto a visitas a estabelecimentos de saúde e prisionais, bem como a lares e residências. Quanto às celebrações em templos, também se seguirão prudentemente as diretivas das autoridades», refere a nota.

Além disso, D. Manuel Clemente reforça a necessidade de seguir as orientações da Conferência Episcopal Portuguesa, às quais acrescenta «outras que têm sido dadas sobre não beijar imagens e a maior distância e resguardo na administração da reconciliação sacramental», e reafirma «todos poderão contar com a generosidade dos sacerdotes, diáconos e agentes pastorais, que nunca deixarão de acompanhar quem precisa de apoio humano ou sacramental». Uma «generosidade» que nunca poderá «prejudicar direta ou indiretamente ninguém», defende o prelado.
 
Texto e foto: Ricardo Perna
Continuar a ler