Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
COVID-19: Recomendações para idosos e familiares
26.03.2020
Todos sabemos que o COVID-19 tem efeitos mais intensos nas pessoas mais velhas. Nesse sentido, o Núcleo de Estudos de Geriatria (NEGERMI) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) tornou público um conjunto de recomendações para os doentes idosos e familiares para prevenir a doença.

Além das medidas de higiene gerais para toda a população, o Núcleo de Estudos aconselha alguns cuidados. Primeiro: ficar em casa. Depois: «limpe e desinfete a casa, principalmente as superfícies tocadas com frequência (como mesas, maçanetas, interruptores de luz, torneiras e telemóveis)». No caso de ter de sair de casa «por algum motivo de saúde urgente mantenha sempre o distanciamento social mínimo de 1 a 2 metros». Mas o ideal é procurar «um familiar ou um vizinho que lhe leve as compras e a medicação a casa, não mantendo qualquer contacto físico com ele». Atenção à medicação, não deixando acabar. Se já estiverem a terminar entre em contacto por telefone ou email com o Centro de Saúde. Se não puder ou conseguir, «peça a um familiar para o fazer». O contacto com familiares e amigos por telefone é essencial. «Mantenha-se em contacto», aconselha o Núcleo.

É essencial manter o contacto com os idosos.

Em casa, «beba muitos líquidos, de preferência em bebidas quentes que deve ter sempre preparadas, com mel (se não for diabético), limão, outros sumos, chá, café». A alimentação equilibrada é essencial, mas «deve lavar e descascar a fruta antes de comer». Sopa quente é também aconselhada. Estando em casa, pode ser mais difícil mexer-se. Mas é essencial fazer algum exercício e não estar muitas horas sentado. «Ande em casa por períodos de mais de 10 minutos 3 vezes por dia ou se possível use uma pedaleira.»

Em caso de febre ou dor no corpo, o Núcleo aconselha a não tomar «anti-inflamatórios não esteroides (estes medicamentos são inapropriados para os idosos)». Pode tomar «paracetamol 3-4 gramas por dia». O Núcleo de Estudos de Geriatria da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna aconselha a procurar ajuda médica em caso de «dificuldade em respirar ou falta de ar» ou «dor ou opressão persistente no peito».

Aos familiares dos idosos aconselha-se que confirmem se a medicação e alimentos chegam para o caso de haver faltas inesperadas. «Sempre que o contacto físico for indispensável lave cuidadosamente as suas mãos, mas se tiver tosse ou febre não o visite», aconselham os médicos. Manter o contacto e não abandonar o idoso apesar do isolamento é essencial. «Esteja atento à eventual dificuldade de respirar do seu familiar ou às manifestações de alteração do estado  de consciência e confusão», aconselha o Núcleo.

Além destas recomendações mais especiais para os idosos, o núcleo lembra as indicações gerais de higiene. O idoso «deve lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes», «evite tocar na cara com as mãos», e «tocar em superfícies de alto toque em locais públicos – botões do elevador, maçanetas, corrimãos, apertos de mão com pessoas, etc». Se precisar de mexer em algo, use mais a mão contrária à que usa mais e «use um lenço de papel ou a sua manga para cobrir a sua mão ou o seu dedo». Também deve evitar «partilhar objetos pessoais ou comida». E sempre que tossir ou espirrar, o nariz e a boca devem ser tapados «com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos». O lenço deve ir para o lixo. 
 
Texto: Cláudia Sebastião
 
 
Continuar a ler