Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Famílias Numerosas queixam-se de «tratamento desigual»
13.11.2020

A Associação Portuguesa de Famílias Numerosas (APFN) critica o Orçamento do Estado para 2021, alegando que discrimina as famílias com mais filhos. A APFN não concorda que o limite de despesas na saúde seja «o mesmo para um casal sem filhos ou uma família de cinco». Ou seja, «cada membro do casal pode deduzir 500€, enquanto cada membro da família de cinco pode deduzir apenas 200€». Por isso, a associação de famílias numerosas afirma que «o tratamento desigual é gritante, ao não ser considerada a capitação dentro dos agregados familiares». Esta é uma acusação recorrente nos últimos orçamentos do Estado. «Em relação ao IRS, a justiça fiscal mínima tem de implicar que uma pessoa com um filho (ou mais) não pode pagar mais IRS do que uma pessoa sem filhos que tenha um rendimento equivalente», reclama a associação. Por estas razões, a APFN pede a correção das rubricas em que um filho não valha como uma pessoa.
Texto: Cláudia Sebastião
Continuar a ler