Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Livro recorda oração que uniu o mundo na pandemia
25.03.2021
A editora Dom Quixote lançou, com a Libreria Editrice Vaticana, o livro álbum com o título «Porque Sois Tão Medrosos? Ainda não Tendes Fé?». A obra recorda um ano depois as orações, mensagens e imagens do Papa Francisco em pandemia. 

É posto à venda quando passa um ano daquele momento simbólico e histórico em que o Sumo Pontífice presidiu a uma oração, sozinho, num Adro da Basílica de São Pedro deserto, pelas 18h00, do dia 27 de Março de 2020, a que assistiram centenas de milhões de fiéis pela TV e pelas redes sociais.

Capa do livro. «Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?».

No prefácio do livro, monsenhor Guido Marini, mestre das celebrações litúrgicas do Vaticano, diz que «a Praça de São Pedro, naquele final de tarde, estava vazia, deserta. Incrivelmente deserta. E mais silenciosa do que nunca. No entanto, ali mesmo, o mundo inteiro reuniu-se, convocado por um homem vestido de branco que, mais uma vez, a todos sem exceção, repetiu com palavras fortes e persuasivas, com o humilde poder das imagens: "O homem que reza tem o leme da história tem suas mãos." Por esta razão, ele convocou a Igreja e, em certo sentido, o mundo inteiro, pedindo-lhes que levantassem os olhos, todos juntos, para o Senhor do tempo e da história».

Além dos discursos, homilias do Papa, o álbum recolhe também as suas impressões sobre estes momentos. Diz ele que naquela praça de São Pedro deserta «Caminhava assim, sozinho, pensando na solidão de tantas pessoas... um pensamento inclusivo, um pensamento com a cabeça e com o coração, juntos... Sentia tudo isso e caminhava...»

O «álbum de recordações» como lhe chama a editora, foi organizado pelo Dicastério para a Comunicação e recolhe os pronunciamentos do Papa Francisco entre 9 de março e 14 de maio de 2020. 

«Duas coisas me vieram à mente: a praça vazia, as pessoas unidas à distância... e, deste lado, o barco dos migrantes, aquele monumento... E estamos todos no barco, e neste barco não sabemos quantos poderão desembarcar... Todo um drama diante do barco, a peste, a solidão... em silêncio..», diz o Papa. O livro contém também fotografias desses momentos. Uma das mais impressionantes é a que mostra o beijo do Papa aos pés de Jesus Crucificado. O Papa Francisco revela que «beijar os pés do Crucificado sempre dá esperança. Ele sabe o que significa caminhar, e sabe o que é a quarentena porque lhe foram colocados dois pregos ali para mantê-lo firme. Os pés de Jesus são uma bússola na vida das pessoas, quando caminham e quando estão parados. Os pés do Senhor tocam-me muito...»

Paolo Ruffini, prefeito do Dicastério para a Comunicação, diz que «a palavra precisa sempre do silêncio. E o silêncio só é eloquente quando ecoa a palavra», defendendo que este livro quer resgatar o «humilde poder» da oração, através das palavras, dos gestos e das imagens. 

Texto: Cláudia Sebastião
Continuar a ler