Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Preparar o Natal
14.12.2020
Gosto muito da palavra “preparar”. É algo que remete para a ação, para o concreto, para a vida. É um verbo muito presente no nosso quotidiano, desde as coisas mais simples às mais importantes: preparamo-nos antes de sair de casa, para ir para a escola ou para o trabalho, para visitar a família ou para nos encontrarmos com os amigos (ainda que agora mais limitados por causa do COVID-19), para ir à missa ou em peregrinação. Preparamos uma boa refeição, uma conversa, um diálogo, uma conferência, um exame. Prepararmo-nos para ir ao médico, às compras, a um concerto, até para dormir.

Os momentos mais importantes da vida são quase sempre precedidos de uma adequada preparação: as festas dos mais diversos aniversários e efemérides, a celebração dos sacramentos (Batismo, Eucaristia, Confissão, Crisma, Matrimónio, Ordenação, Unção dos Enfermos), quando se está para ser pai ou mãe. Também na vida da Igreja as principais celebrações são sempre precedidas de uma vigília: Missa do Galo, Vigília Pascal e de Pentecostes. A vida cristã outra coisa não é senão prepararmo-nos para a vida eterna.

Preparar permite-nos recordar com gratidão, mas também sonhar, imaginar, pôr a nossa criatividade a trabalhar. A forma como prepararmos as coisas na nossa vida revela muito do que somos e é determinante para a nossa felicidade. Às vezes há mais alegria nos momentos de preparação do que na vivência dos acontecimentos, porque o que anima a preparação é a esperança do acontecimento.

Passamos a vida a preparar…
Preparar é servir, é dedicar tempo, é reconhecimento, é Advento! Requer tempo, presença, disponibilidade, abertura de mente e de espírito. Estamos preparados para celebrar mais um Natal?

Permitam-me que partilhe convosco um excerto do belíssimo texto do padre António Vieira, Sermão do Nascimento da Mãe de Deus, que nos pode iluminar não apenas no Natal mas em toda a nossa vida: «Quereis saber quão feliz, quão alto é e quão digno de ser festejado o Nascimento de Maria? Vede para o que nasceu. Nasceu para que d’Ela nascesse Deus. […] Perguntai aos enfermos para que nasce esta celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora da Saúde; perguntai aos pobres, dirão que nasce para Senhora dos Remédios; perguntai aos desamparados, dirão que nasce para Senhora do Amparo; perguntai aos desconsolados, dirão que nasce para Senhora da Consolação; perguntai aos tristes, dirão que nasce para Senhora dos Prazeres; perguntai aos desesperados, dirão que nasce para Senhora da Esperança. Os cegos dirão que nasce para Senhora da Luz; os discordes, para Senhora da Paz; os desencaminhados, para Senhora da Guia; os cativos, para Senhora do Livramento; os cercados, para Senhora da Vitória. Dirão os pleiteantes que nasce para Senhora do Bom Despacho; os navegantes, para Senhora da Boa Viagem; os temerosos da sua fortuna, para Senhora do Bom Sucesso; os desconfiados da vida, para Senhora da Boa Morte; os pecadores todos, para Senhora da Graça; e todos os seus devotos, para Senhora da Glória. E se todas estas vozes se unirem em uma só voz, dirão que nasce para ser Maria e Mãe do Menino Jesus

Boa preparação e Santo Natal!