Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Quando a fé move montanhas
11.07.2016
Era talvez sobre isto que o maior amigo de Fernando Santos tinha dito há centenas de anos: a fé move montanhas (Mc 23,11; Mt 21,21). Um sentido figurado que o nosso selecionador percebeu bem o que significava. O sonho cumpriu-se. Portugal é Campeão Europeu.
Foto_ Lusa

Eram tantas as montanhas. Não apenas os jogadores franceses, nem todos os outros grandes com quem nos deparámos pelo caminho - de islandeses a galeses. Foi necessário, sobretudo, mover e ultrapassar montanhas de dúvida, de ideias pré-estabelecidas, de contrariedades. Foi preciso o típico sacrifício, sangue, suor e lágrimas, mas também uma grandiosa fé.

A 18 de junho, depois do empate contra a Áustria, face às dificuldades que a seleção estava a sofrer, o selecionador, num momento de oração, escreve o discurso da vitória do europeu. Quem poderia prever? Começa por agradecer a Deus Pai por tudo e termina a dedicar a vitória ao seu «maior amigo e sua mãe», pedindo-lhe que ilumine e guie a equipa.

Fé ou fezada? A verdade é que a crença faz parte deste desporto e da vida. Acreditar é uma constante ao longo deste percurso. Lembro que contra a Polónia, na lotaria dos penalties, depois de marcar, Ronaldo regressou a gritar: «Fé! Fé! Vamos! Vamos!» Pouco depois, Fernando Santos, de olhos fechados, certamente via o jogo com outro olhar. Quantas vezes vimos o nosso selecionador de olhos fechados?

Já há algum tempo que me disseram que Portugal ia ser campeão europeu. Não acreditei, fui acreditando. Diziam-me que Portugal seria campeão, pelo Eusébio, pelo povo português. E se há dois meses me tivessem dito que íamos ser campeões europeus, a jogar a final do Europeu de França contra a França, sem o Cristiano Ronaldo, e com um golo de Éder no prolongamento, a minha reação seria um sorriso irónico… Mas eu sou suspeito, acredito em milagres!

E ontem, tudo se moveu no sentido da vitória da seleção portuguesa.
Fruto de uma fé, de uma força inacreditável que se traduz no campo da vida, no desempenho de um guarda-redes impenetrável, numa defesa “imperial”, num meio campo seguro e sólido, numa frente com o melhor do mundo e que é o nosso capitão.
Portugal, o teu esplendor foi levantado aos céus!

Parabéns seleção! Parabéns povo português! Parabéns Portugal!