Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Refugiados: JRS pede ao governo mais apoio
20.06.2018


No dia mundial do Refugiado, André Costa Jorge, diretor do Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS), apela ao governo português para pensar em «medidas de acolhimento de refugiados não só no curto prazo, mas no médio e no longo prazo». André Costa Jorge defende que o «Estado deve dar apoio, fazer a sua parte» nem sempre o faz quando através de «pequenas estruturas públicas que, às vezes, têm uma resposta diferente». «O que vamos notando é que as entidades públicas têm uma resposta diferente, falta uma perspetiva de médio e de longo prazo. Boa parte do esforço assentou na sociedade civil. Falta melhorar os procedimentos, o processo e as estruturas de acolhimento e apoiar as instituições que acolhem.»
O diretor do JRS critica também o que está a acontecer nos Estados Unidos da América com famílias a serem separadas na fronteira com o México. «Não honra os valores da América. Quando faz isso, está a trair a sua história», afirma. Do outro lado do oceano ou na Europa, André Costa Jorge defende que «não temos sabido olhar para as migrações como uma realidade positiva e altamente benéfica».