Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Tudo somado, valeu a pena
19.12.2022
Posso dizer que escolhi trabalhar na FAMÍLIA CRISTÃ porque me revia num jornalismo mais positivo, de testemunho, de formação e informação. Há muitos anos era jornalista num órgão nacional, de grande dimensão, quando tomei essa decisão. Muitos não compreenderam a escolha. «Vais de cavalo para burro», disseram-me alguns. Talvez fosse, aos olhos apenas racionais.

No entanto, na redação desta revista encontrei uma equipa profissional, com muita atenção ao cumprimento das regras deontológicas e éticas. Aprendi muito em vários campos. Cresci muito. Tive oportunidade de explorar e descobrir outros dons que Deus colocou em mim. De conhecer pessoas e projetos incríveis. Quem, perante adversidades às vezes inimagináveis, conseguiu viver em felicidade e plenitude. Saber que há muitas pessoas que põem os seus talentos a render para o bem dos outros e da sociedade. Foi tão bom e bonito conhecer tanto bem que existe e, tantas vezes, não é conhecido. O bem faz-nos bem, passe a repetição. Faz-nos crescer, serve-nos de exemplo, interpela-nos, estimula-nos à ação. Poder divulgá-lo tornou-se um dos meus objetivos de vida.

Por tudo isto, estes últimos meses têm sido difíceis e muito emotivos. Com a notícia do fim da FAMÍLIA CRISTÃ, tentei focar-me em continuar a dar o meu melhor para que os nossos leitores tivessem, como sempre, uma revista com temas e artigos de qualidade. Era apenas o que estava nas minhas mãos, como chefe de redação. Daí nasceu esta última revista, especial, de comemoração da vida e não de elogio fúnebre. Porque é disso que se trata. É uma vida de 68 anos desta revista que é preciso festejar, mas também a dos seus assinantes, e muitos são-no há tantos anos…

Não foi fácil manter a motivação, sabendo que era um projeto a prazo, com as implicações pessoais que isso também tem. Contudo, os nossos assinantes mereciam, e merecem, todo o empenho e toda a energia. É por eles e para eles que trabalhamos.

Um dos meus trabalhos para esta última edição foi ver e ler todas as revistas desde que ela começou a ser publicada em Portugal. Tão trabalhoso como delicioso foi perceber que as preocupações com a educação, com as relações dos casais e com os filhos, a fé, se mantiveram ao longo destas décadas. Mudam os anos, a sociedade, mas o ser humano continua igual por dentro. Quer ser feliz, estar ligado profundamente à sua família. Que bonito verificar isso e que belo perceber que muitas pessoas puderem viver melhor e ser mais felizes através dos conteúdos das páginas da FAMÍLIA CRISTÃ.

Nas últimas semanas, depois de ser tornado público que a revista acabaria, não pararam de chegar mensagens por e-mail, carta, telefonemas dos nossos queridos leitores e assinantes. Tem sido muito bonito ver o carinho com que brindam esta publicação e todos os que nela colaboram. São muitos os testemunhos de como a revista os ajudou e tocou. Sentem-na como sua, como parte de uma comunidade, uma verdadeira família cristã.

Natália Sousa, uma antiga professora que escolheu o vestido de noiva pela revista, escreveu-nos que «tal como o trabalho e ação de um professor com os seus alunos não termina no final do ano letivo, mas sim se estende e se multiplica nos talentos, ações e interações deles pela vida fora e pelo mundo, assim a “nossa” revista não terminará em dezembro, pois tudo o que ela nos tem dado continuará a produzir e a multiplicar os seus frutos». Nesta última revista apenas posso dizer, como tantas vezes no final das homilias se repete, «que assim seja». Que os frutos do nosso trabalho e do trabalho dos que aqui estiveram antes de nós continuem a revelar-se na vida de quantos nos leram e continuem a ler nas edições arquivadas e no que ainda estiver disponível na internet. Tudo somado, como diz este espaço que aqui tenho assinado nestes últimos anos, valeram a pena estes 68 anos.