Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Um Encontro para «apoiar as famílias no seu caminho de santidade»
25.08.2018
O Encontro Mundial das Famílias que está a decorrer esta semana em Dublin, na Irlanda, tem sido uma oportunidade de «experiência de comunhão internacional» e transmite uma «clara compreensão sobre como a Igreja está inserida na vida quotidiana das pessoas e das famílias».
 

As ideias são de Nuno Fortes, que, com a sua esposa Catarina, estão a participar no Encontro. Nuno é colaborador do Departamento da Pastoral Familiar do Patriarcado de Lisboa, e destaca a «importância das coisas simples no dia a dia da vida familiar» e a «importância que foi atribuída à missão dos cristãos no mundo» como os temas mais significativos destes três dias de congresso pastoral. «O cristão que recebe este encontro com Cristo torna-se uma ponte para ligar outros a Cristo, e fá-lo por uma vida coerente, da aplicação do mandamento do amor, e é nas famílias que encontramos, como dizia o Papa João Paulo II na Familiaris consortio, o primeiro agente de evangelização das outras famílias», afirmou em declarações à Família Cristã.
 
A participação no Congresso permitiu ainda «o encontro com famílias de todo o mundo», e a perceção de que a Igreja está «atenta às dificuldades e que, a partir de todos nós, vai procurando dar respostas, acompanhar e apoiar as famílias no seu caminho de santidade».
 
A polémica com os casos de abusos sexuais por parte de membros do clero, que se fez sentir muito na Irlanda, não tem sido deixada de lado. «Alguns conferencistas têm consciência do problema, e nos encontros da tarde tem havido, pelo menos em duas intervenções, referência diretas à carta que o Papa escreveu sobre a pedofilia nos Estados Unidos», refere Nuno Fortes, que acrescenta que não se tem apercebido de muitas manifestações contra a visita do Papa no dia a dia do Congresso, a não ser o que vai vendo na comunicação social.


 
Expetativas altas para a Festa das Famílias com o Papa
O Papa Francisco já aterrou na Irlanda, e hoje junta-se aos participantes para a Festa das Famílias e amanhã para a eucaristia. Nuno Forte destaca a «experiência extraordinária de estarmos presentes numa celebração onde rezamos cada um na nossa língua, mas todos a mesma oração, onde rezamos todos na mesma língua, gente de todos os países do mundo», e espera que esta visita do Papa proporcione a desejada «renovação da Igreja na Irlanda». «A Irlanda é um país maioritariamente católico, mas em que são cada vez menos os membros devotos da Igreja, a prática dominical é cada vez mais incipiente», explica este português.
 
O Papa deverá encontrar-se, de forma informal, com algumas das vítimas dos abusos, segundo tem sido avançado pela imprensa internacional. O programa oficial, no entanto, não contém nenhum encontro dessa natureza. Francisco inicia com um encontro com o Presidente da Irlanda e membros do governo, vai visitar a pró-catedral de Santa Maria em Dublin, um centro de acolhimento para famílias sem casa, e depois segue para o Croke Park Stadium, onde o esperam as famílias participantes na Festa das Famílias.

Amanhã, domingo, o Papa desloca-se ao santuário de Knock, faz lá a oração do Angelus e regressa a Dublin para a missa de encerramento do Encontro Mundial das Famílias no Phoenix Park. No final, encontra-se com os bispos irlandeses e regressa a Roma.
 
Texto: Ricardo Perna
Fotos: D.R.
 
Continuar a ler