Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Vaticano cria Organismo Internacional de consulta dos jovens
27.11.2019
Na solenidade de Cristo Rei, o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida anunciou com «alegria» a instituição do Organismo internacional de consulta dos jovens, composto por 20 jovens de diferentes regiões do mundo e alguns movimentos, associações e comunidades internacionais.


É o concretizar de um dos pedidos do Documento Final do Sínodo de 2018, que solicitava, no seu ponto 123, a criação de um Órgão para fortalecer a atividade do Setor de Juventude do Dicastério.

Destaque no grupo para Tomás Virtuoso, um dos participantes portugueses no pré-sínodo e que agora integra este grupo. Lucas Navarro, do Brasil, é o outro participante de língua portuguesa. Para além destes, compõem o grupo Béatrice Camara (Guiné), Moses Ojok (Uganda), Dominique Yon (África do Sul), Brenda Noriega (Estados Unidos), Joseph Edward San Jose (Canadá), Sofia Beatriz Cruz Estrada (El Salvador), Natalia García Jiménez (Porto Rico) Ariel Alejandro Rojas Hernández (Chile), Agatha Lydia Natania (Indonésia), Jesvita Princy Quadras (Índia), Makoto Yamada (Japão), Tilen Čebulj (Eslovênia), Chiara Van Voorst (Holanda), Émile Abou Chaar (Líbano), Ashleigh Green (Austrália), Carina Baumgartner (Movimento Juvenil Salesiano, Áustria), Lucas Ricardo Marçal Ramos (Fazenda Da Esperança, Brasil), Tommaso Sereni (Fórum Internacional de Ação Católica, Itália).

Em declarações à Renascença, Tomás Virtuoso mostra-se ciente do risco de este ser apenas mais um organismo, mas acredita que há vontade sincera do Vaticano de escutar os jovens. «Este organismo não vem do nada, vem no seguimento de um processo longo e muito maturado de envolvimento dos jovens, de os trazer para o centro da discussão e de os por a pensar a Igreja não como entidades passivas que usam a Igreja como um supermercado onde consomem sacramentos, mas de fazerem parte da Igreja e de estarem no centro da sua vida. Eu só tenho de acreditar que este organismo vai ser o que também foi este processo sinodal, que foi um processo honesto e verdadeiro de ouvir o que os jovens têm para dizer, e os obrigar a contrapor a sua visão com a de outras pessoas do mundo, pessoas de outras idades e sensibilidades.»

Este grupo de jovens tem o seu primeiro encontro marcado para abril de 2020, em Roma. Todos estiveram de alguma forma envolvidos no processo sinodal. Segundo o site do Dicastério, «o grupo desempenhará um importante papel consultivo e proativo, colaborando com o Dicastério para aprofundar questões relacionadas à pastoral juvenil e outras questões de interesse mais geral», acrescentando que os jovens escolhidos nao representam os movimentos que integram, foram escolhidos individualmente.

São jovens envolvidos em diferentes fases do processo sinodal, como o Fórum Internacional da Juventude que o Dicastério organizou em junho passado para promover a implementação da exortação apostólica Christus vivit.

Texto: Ricardo Perna (com Vatican News e Renascença)
Continuar a ler