Precisa de ajuda?
Faça aqui a sua pesquisa
Viver o Panamá à espera de Lisboa
22.01.2019
Tem início hoje a Jornada Mundial de Juventude, evento que congrega jovens de todo o país em dias de reflexão, convívio e aprendizagem, que culminam, habitualmente, com a presença do Papa junto dos jovens. Este ano não será exceção, e o Papa Francisco já se prepara para partir em direção ao Panamá.

Os dias de JMJ são habitualmente inesquecíveis para os seus participantes. A possibilidade de conviver, partilhar, refletir e rezar em conjunto com jovens que vivem realidades tão diferentes das de cada um fortalece a fé e o sentido de corpo uno que a Igreja Católica professa e incentiva. São vários os eventos que possibilitam crescimento na fé, começando logo pelo acolhimento dos jovens que vêm de forma, que é proporcionado pelas paróquias que acolhem este evento e que permitem uma partilha não apenas entre os jovens, mas também dos jovens com os elementos mais velhos de cada comunidade, uma riqueza extra que este evento permite.

Os desafios, claro, são sempre os mesmos, o que significa que há ainda muito a fazer para os conseguir levar a cabo. Conseguir que o entusiasmo que cada jovem traz da sua vivência na JMJ se espalhe e entusiasme as comunidades de origem desses jovens é sempre a tarefa mais difícil de concretizar. Manter o balão de entusiasmo cheio requer um compromisso da parte do jovem que nem todos estão disponíveis para concretizar, assim como exige uma disponibilidade da parte das comunidades de origem em ouvir e mudar algumas das suas vivências em função das novas práticas e ideias que os jovens trazem, e também aqui muitas comunidades mostram uma dificuldade de adaptação a mudança que, muitas vezes, esvazia rapidamente todo e qualquer entusiasmo que o jovem traga desta experiência.

Como seria de esperar, a participação portuguesa é reduzida, embora em números que deixam os responsáveis do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil muito satisfeitos, já que esta é uma altura de exames e aulas para muitos jovens. Serão cerca de 300, provenientes de 12 dioceses e 4 movimentos, os que irão estar no Panamá, mas já foram muitas as dioceses que anunciaram eventos paralelos em Portugal para permitir a quem queria ir mas não conseguiu a possibilidade de acompanhar as principais celebrações, que irão ser transmitidas online, em ambiente de convívio e festa comunitária.

Mas, apesar da participação menos numerosa, há outros fatores de interesse para os jovens portugueses. Antes de mais, a Imagem Peregrina de Fátima foi convidada a estar presente durante todo o evento, e já foi recebida na Igreja de Lourdes, em Carrasquilla, Cidade do Panamá, por uma multidão entusiasta de jovens e fiéis mais velhos. Vai ser bonito acompanhar o percurso da imagem durante estes dias.

Depois, é impossível esconder a expetativa de que o Patriarcado de Lisboa possa ser anunciado como local da próxima Jornada Mundial de Juventude cresce a cada dia que passa. O anúncio será no próximo domingo, e no local, para receber a Cruz da JMJ (caso seja o local escolhido), estará não apenas o Cardeal Patriarca, D. Manuel Clemente, como o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, que já confirmou a sua presença no evento, um sinal de que esta é uma possibilidade bem forte de se concretizar. E quão extraordinária e desafiante seria a possibilidade de a Igreja em Portugal acolher um evento que junta centenas de milhares de jovens católicos de todo o mundo? Bom, essa será uma conversa para ter a partir de domingo.